domingo, 7 de agosto de 2016

UM CASO EXTRAORDINÁRIO ACONTECIDO NA "ZONA BAIXA" DE NOSSA CIDADE

Em uma noite de julho de 1931, dois indivíduos adentraram uma casa de tolerância (!) na "zona baixa" de nossa cidade (onde seria??? - ao que parece na rua Zacarias de Góes, à época chamada Adolfo Gordo). Ali pernoitaram.

Mais tarde, um frequentador da casa deu o alarme: os dois seriam leprosos, que teriam sido vistos durante o dia andando pela cidade. 

À época, a lepra era uma doença temida (ainda é); seus portadores eram segregados do convívio social - no Brasil existia lei para que os portadores de lepra fossem "capturados" e obrigados a viver em leprosários, a exemplo do Hospital de Pirapitingui, situado entre Itu e Sorocaba.

Essa lei foi revogada em 1962, porém o retorno dos pacientes ao seu convívio social era extremamente difícil, face ao preconceito vigente. Na atualidade, a doença pode ser curada.

Refletindo a visão da época, a "Folha da Manhã" de 29 de julho de 1931 terminava o relato do fato recomendando que a polícia mandasse que as "decaídas" residentes no local fossem submetidas a um exame de sanidade. Muito triste... 


Nenhum comentário:

Postar um comentário